Sinto desapontá-los, mas não tem nada a ver com a série que – infelizmente – acabou neste ano após 15 temporadas. Tem a ver comigo mesmo, e minha turnê pela ER (emergency room) do Saint Francis Hospital, a 3 km de casa.

Fez um mês esta semana que levei um tremendo escorregão na escada que tem nos fundos do nosso apartamento e que desce para o quintal, a horta, as garagens e

por esta escada se vai longe...

por esta escada se vai longe...

para o “banheiro” da Didi.

Pois então, descia eu a escada mencionada, às 10:30 da noite de uma terça-feira chuvosa, quando levei o escorregão e bati com as costas no penúltimo degrau do primeiro andar, bem na frente da casa dos nossos vizinhos Debbie e Roger.

Imediatamente ele abriu a porta da cozinha e perguntou se eu estava bem… juro que não consegui abrir a boca para responder, tal a porrada que me deixou sem ar, e a dor que eu sentia nas costelas – igualzinha a de quando quebrei 6 no acidente de carro em 2004 (“atropelado” por um ônibus na Avenida Santo Amaro – ainda bem que eu estava dentro do meu carro, que por sinal “deu P.T.” na ocasião).

Acho que o acidente foi uma conjunção de fatores, muito como acontece com os acidentes aéreos: não são causados por apenas um fato isolado. Ou seja, os instrumentos falharam E o piloto achou que não era nada E estava uma tempestade E ainda por cima um urubu entrou na turbina. Foi mais ou menos assim, porque eu estava de havaiana E com os degraus de madeira molhados pela chuva E havia tomado vinho E carregava em uma das mãos uma lata de lixo com a reciclagem E na outra um saco de lixo propriamente dito E a Didi descia à minha frente com pressa para se aliviar. Embora minha querida Si insista em dizer que eu tinha é tomado umas taças a mais, eu acho que se qualquer destes elementos não estivesse presente, eu não teria caído.

O resultado foi este:

depois de 2 Vicodin, tudo fica melhor

depois de 2 Vicodin, tudo fica melhor

No dia seguinte, após ter levantado durante a noite para procurar um Advil e desmaiar na sala, liguei para o hospital e eles me intimaram a comparecer imediatamente, porque com quedas não se brinca. Fui, fiz um CAT Scan, um eletro, seis raios-X, exame de urina, tomei dois Vicodin (os preferidos do Dr. House) e, US$3.420 depois – pagos pelo seguro, claro – fui declarado como não digno de uma estada no hospital, e portador de apenas uma concussão nas costelas e não uma fratura como eu imaginava.

Ganhei uma receita para Vicodin por 20 dias (que tomei religiosamente, à noite, para poder dormir, acompanhado de uma taça de vinho para desafiar a bula), uma folga não intencional nas minhas pedaladas para o trabalho e um recém-adquirido cuidado ao descer as escadas quando levemente embriagado e/ou com degraus molhados e/ou carregando peso, etc etc etc…

para a posteridade

para a posteridade